Categorias Da Physis. Heidegger E Fink

Autores

  • Cathrin Nielsen Frankfurt / Eugen-Fink-Zentrum Wuppertal

Palavras-chave:

Fink, Heidegger, natureza, terra, imanência

Resumo

Nesse artigo amplo e detalhado, que representa ao mesmo tempo uma via privilegiada de acesso à compreensão do pensamento finkiano em geral, Cathrin Nielsen apresenta uma leitura pontual e ao mesmo tempo abrangente das concepções da physis em Fink e Heidegger, sobre o pano de fundo da tradição metafísica ocidental. As diferentes interpretações dos conceitos ontológicos fundamentais, tais como substância, matéria e forma, conduzirão a noções diferentes e até contrapostas de physis. Se Heidegger, por um lado, frisa continuamente a inclusão da natureza no “acontecer da clareira”, Fink, por outro lado, tematiza, como poucos antes dele, o lado “obscuro, noturno e fechado” da natureza através de uma abordagem experimental da terra e dos fenômenos que testemunham a “proximidade ôntica” da existência humana com o solo materno originário.

Biografia do Autor

Cathrin Nielsen, Frankfurt / Eugen-Fink-Zentrum Wuppertal

Referência da publicação original: a versão original do texto, em alemão, apareceu no volume Welt denken. Annäherungen an die Kosmologie Eugen Finks (Nielsen & Sepp, 2010, pp. 154-183). As palavras em grego antigo foram transliteradas e a bibliografia atualizada e adaptada às traduções, sobretudo de Husserl e Heidegger, disponíveis em língua portuguesa. Os tradutores e editores do Dossiê agradecem à autora e à editora pela gentileza e pela disponibilidade com que aceitaram participar desse projeto. Tradução do alemão, notas e atualização bibliográfica por Anna Luiza Coli, José Fernandes Weber e Giovanni Jan Giubilato.

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Nielsen, C. (2020). Categorias Da Physis. Heidegger E Fink. Phenomenology, Humanities and Sciences, 1(3), 491-506. Recuperado de https://phenomenology.com.br/index.php/phe/article/view/66