Experiência De Doença E Estoque De Conhecimento No Enfrentamento Do Diagnóstico Psiquiátrico

Autores

  • Camila Muhl FAE Centro Universitário/ Universidade Federal do Paraná

Palavras-chave:

Transtorno Mental, Experiência, Enfrentamento, Psicopatologia, Sociologia Fenomenológica

Resumo

Com a acumulação de experiências adquiridas junto ao mundo da vida cotidiana, a todo o momento, fica à disposição de cada pessoa um estoque de conhecimento que permite que ela opere sobre o mundo. Todas as experiências vividas são acrescidas ao estoque de conhecimento, o que faz com que este exista enquanto um fluxo contínuo que se transforma de acordo com a experiência atual. Se agimos referenciados por um estoque de conhecimento em todos as experiências, assim também o fazemos na experiência de adoecimento: quando a pessoa se descobre em uma situação de sofrimento é a este estoque que ela recorre para compreender, significar e cuidar da sua enfermidade. Nesta investigação fenomenológica, pesquisamos junto a pessoas com diagnóstico de transtorno mental como elas enfrentavam à doença. Foram realizadas 20 entrevistas em profundidade, com pessoas de ambos os sexos, com idades entre 19 e 59 anos e diferentes diagnósticos psiquiátricos, que estavam em atendimento em um Centro de Atenção Psicossocial na região metropolitana de Curitiba. Ao mobilizarem suas experiências prévias e estoque de conhecimento, identificamos que as seguintes estratégias e fatores de proteção foram usados no enfrentamento da doença: auto-observação, isolamento, arte, laços afetivos, organização/rotina e lazer

Biografia do Autor

Camila Muhl, FAE Centro Universitário/ Universidade Federal do Paraná

Psychologist, Master in Psychology and PhD in Sociology from the Federal University of Paraná, Professor of the Psychology Course at FAECentro Universitário.

Publicado

2020-06-29

Como Citar

Muhl, C. (2020). Experiência De Doença E Estoque De Conhecimento No Enfrentamento Do Diagnóstico Psiquiátrico. Phenomenology, Humanities and Sciences, 1(2), 373-390. Recuperado de https://phenomenology.com.br/index.php/phe/article/view/34