Pobreza De Ser. A Tradução De Eugen Fink Das Elegias De Duíno Em Reflexão Filosófica.

Autores

  • Hans Rainer Sepp Charles University Prague / Central-European

Palavras-chave:

Fink, Rilke, experiência ontológica, experiência transcendente

Resumo

Neste ensaio original, baseado em materiais inéditos de Fink, o autor nos introduz no universo ainda desconhecido da interpretação finkiana da poesia de Rilke. Em suas anotações Fink faz a tentativa de colocar em conceitos aquela “experiência transcendente” que constitui a essência de toda obra de arte. Nela, revelar-se-ia ao humano não apenas o que lhe excede, o ente supremo, mas também os limites do seu próprio ser, sua finitude radical. A potência transcendente e catártica da poesia fornece, assim, uma compreensão do estatuto ontológico do humano e da sua temporalidade radical. As Elegias de Duíno possuem, portanto, segundo Fink, uma relevância ontológica: nelas encontram-se tanto a “experiência transcendente” da arte quanto a “experiência ontológica” da filosofia e seus conceitos.

Biografia do Autor

Hans Rainer Sepp, Charles University Prague / Central-European

Referência do texto original: o artigo Seinsarmut. Eugen Finks Übersetzung der Duineser Elegien in philosophische Reflexion, de Hans Rainer Sepp, apareceu pela primeira vez na revista Trigon, Vol. 8 (2009), pp. 159-167. Tradução do alemão por Anna Luiza Coli, José Fernandes Weber, Giovanni Jan Giubilato e Camila Ferreira de Oliveira.

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Sepp, H. R. (2020). Pobreza De Ser. A Tradução De Eugen Fink Das Elegias De Duíno Em Reflexão Filosófica. Phenomenology, Humanities and Sciences, 1(3), 484-490. Recuperado de https://phenomenology.com.br/index.php/phe/article/view/65