Teoria da intencionalidade revisada: Gurwitsch leitor de Husserl

Autores

Palavras-chave:

Gurwitsch, Husserl, Intencionalidade, Percepção, Sensação

Resumo

O artigo apresenta as críticas desenvolvidas por Gurwitsch à fenomenologia da per-cepção de Husserl e a revisão da teoria da intencionalidade que dela se segue. Iniciamos com a apreciação positiva da concepção husserliana de consciência em termos de intencionalidade que, segundo Gurwitsch, é a única capaz de solucionar o problema da consciência da identi-dade do objeto – problema que se enraíza no empirismo inglês. Em seguida, veremos que Gu-rwitsch ainda entende essa concepção, apesar de seus méritos, como reminiscente da hipótese da constância, o que o motiva a revisar seus fundamentos teóricos para resguardá-la desse pon-to frágil. Essa revisão se concentra na eliminação do conceito de hylé sensível desprovida de forma. Tal eliminação parte do próprio conceito husserliano de horizonte interno. Conclui-se que a revisão da teoria da intencionalidade a partir da eliminação do conceito de hylé sensível: 1) não contradiz a apreciação inicial de Gurwitsch da teoria husserliana como revolucionária e como a única a solucionar o “problema da consciência” e 2) apresenta as bases para os desen-volvimentos da sua própria teoria da Gestalt.

Biografia do Autor

Daniel Guilhermino, Universidade de São Paulo (USP)

Mestre e Doutorando em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Publicado

2022-06-22

Como Citar

Guilhermino, D. (2022). Teoria da intencionalidade revisada: Gurwitsch leitor de Husserl. Phenomenology, Humanities and Sciences, 2(2), 180-191. Recuperado de https://phenomenology.com.br/index.php/phe/article/view/122